quarta-feira, abril 04, 2007

Lótus

Tive uma noite de conversas férteis, de diálogos musicais e criativos, com os alunos do primeiro ano do Curso de Formação de Ator da Escola de Teatro e Dança da UFPa, na terça passada, a convite do professor Edson Fernando. Entre poemas e canções, muitas palavras e sensações felizes, inquietantes, ternas, densas e instigantes brotaram, e um elo (ou um halo) indissolúvel foi gerado entre todos (e ao redor de todos), naquela sala, naquela noite. Em agradecimento a tanta humanidade desabrida, posto um dos textos que refulgiram esta irmandade inequívoca, que nos torna parceiros na arte e na vida... Valeu gente!

(o início desse texto foi musicado por Vital Lima, e gravado no seu último CD Das Coisas Simples da Vida)

Lótus

serei tua planta
debruçada na janela
flores em lugar de palavras
rosas na moldura amarela.

convido pássaros à tarde
para a delicada festa
passarás por mim, indiferente e leve
o meu segredo de flor, esta

frase escura onde floris
clara lótus indissoluta
singrando a maresia que te diz

a palavra-água, palavra-raiz
fincando dedos na terra bruta
que te escuta, quando sorris.

14 comentários:

Luana disse...

As palavras aqui já não se fazem necessárias.. elas já foram lindamente escritas por ti. E aliás, já te disse das minhas sensações, dos meus desejos, das minhas buscas.. sou criança em mar revolto a nadar em busca de ao horizonte nunca chegar.

obrigada, algodão doce! beijo!

Fábio Cavalcante disse...

Renato, já dá pra sair um livro da gaveta, não? É só coisa bonita, rapá!

Eduarda Petry disse...

Renato!!

Não és adepto do estilo clássico da poesia, porém escreveste um soneto encantador!
Admiro cada dia mais tuas palavras, és um exímio escritor.
Parabéns!

Abraços

Eduarda Petry.

AF disse...

fantástico.

Quem sou eu disse...

Olá, desculpa a invasão aqui no teu blog, mas a gente fica passeando de link em link. Vim parar aqui e gostei do que vi, aliás do que li. É sempre uma grata surpresa encontrar gente que consegue colocar um pouco de sensibilidade nesse nosso cotidiano cada vez mais eletrônico e automático.

Parabéns.

Abraços

Dri

http://procurandoapoesia.blogspot.com/

Guto Lobato disse...

nossa... que bonito! sensível sem ser óbvio...

excelente! você tá de parabéns! achei seu blog no de uma amiga, grandes poemas.

tenho também um blog de poesias, passe lá quando houver tempo (coisa difícil hoje em dia)!

parabéns!

Renato Torres disse...

luana,

as palavras têm sempre seu tempo... se necessárias, brotarão à revelia, como brotaram em teu comentário. sigamos na busca, minha amiga...

beijo,

r

Renato Torres disse...

mano fábio,

sim, sinto que o momento se aproxima. até cri que este livro sairia ainda este ano, mas não sei se será possível ainda. por ora, seguirei publicando aqui na página branca.

abração!

r

Renato Torres disse...

oi eduarda,

como vês, retomei a página. e com um atraso monstruoso, retribuo o teu comentário generoso. realmente não há em mim traços clássicos... este soneto saiu instintivo, sem rigor formal. obrigado por apreciar minha página branca.

beijo,

r

Renato Torres disse...

olá antónio,

um prazer receber novos visitantes... fico feliz que minha escrita tenha te agradado. já dei uma olhada em teu blog, e o comentarei em breve.

abraços,

r

Renato Torres disse...

olá dri,

peço desculpas por tanto atraso meu em reponder teu comentário... não há nenhum problema em "invadires"... eu fico feliz quando aparecem novas pessoas interessadas nessas trocas humanas. já vi teu blog, e em breve comentarei. obrigado por ter vindo e lido!

beijo,

r

Renato Torres disse...

olá guto,

foste preciso: tempo. e vês que o meu tem sido complicado, haja visto a demora em replicar. de todo modo, é uma pena que não consiga visualizar teu blog, aparece como "perfil não disponível. se retornares por aqui, deixe seu endereço, certo? será um prazer ler e comentar.

abraços,

r

ps: encontraste a página branca onde? que amiga?

Sandra Machado disse...

Só conhecia a primeira estrofe dessa poesia que já me emocionava e me inspirou uma peça para minha próxima coleção de verão, mas vendo-a inteira, agora, "minha alma canta" e cores me invadem.
Obrigada por esse lindeza!!

Renato Torres disse...

Sandra, querida,

fico felicíssimo que minha poesia possa inspirar belezas outras, como tuas criações... sou seu fã!

um beijo,

r

Quem sou eu

Minha foto
Belém, Pará, Brazil
Renato Torres (Belém-Pa. 02/05/1972) - Cantor, compositor, poeta, instrumentista, arranjador, diretor e produtor musical. Formou diversas bandas, entre elas a Clepsidra. Já trabalhou com diversos artistas paraenses em palco e estúdio. Cria trilhas sonoras para teatro e cinema. Tem poemas publicados nas coletâneas Verbos Caninos (2006), Antologia Cromos vol. 1 (2008), revista Pitomba (2012), Antologia Poesia do Brasil vol. 15 e 17 (Grafite, 2012). Escreve o blog A Página Branca (http://apaginabranca.blogspot.com/). Em 2014 faz sua estreia em livro, Perifeérico (Verve, 2014), inicia a produção do CD Vida é Sonho, quando inaugura o Guamundo Home Studio, seu estúdio caseiro de gravação e produção musical, onde passa a trabalhar com uma nova leva de artistas da cidade.